Eixos

Início / Eixos

1. Políticas para a Economia Verde

1-politica-verde“Economia Verde” pode ser definida como o conjunto de processos produtivos (industriais, comerciais, agrícolas e de serviços) que ao ser aplicado em determinado local (país, cidade, empresa, comunidade, etc.), possa gerar nele um desenvolvimento sustentável nos aspetos ambiental e social.

2. Eficiência Energética

2-eficiencia-energeticaA Eficiência Energética é traduzida pela relação entre a energia necessária e a energia utilizada. O incremento da eficiência no uso da energia, aproximando-o do que realmente é necessário e eliminando desperdícios, é o primeiro passo para reduzir o consumo e a fatura energética, diminuindo consequentemente a dependência do petróleo. Esta redução do consumo de energia contribui para a viabilização da adoção de fontes de energia renovável.
Download Documentação

3. Eficiência Hídrica

3-eficiencia-hidricaO conceito de “Eficiência Hídrica” centra-se na redução do desperdício de água, e não na restrição do seu uso, ou seja, tem como intuito a otimização do consumo do recurso água, assegurando que, com a utilização da quantidade mínima possível, se consiga proceder eficazmente à função, tarefa, processo ou serviço na qual é utilizada.

4. Resíduos

4-residuosSegundo o DL 73/2011, de 17 de junho, “Resíduos” podem ser definidos como quaisquer substâncias ou objetos de que o detentor se desfaz ou tem intenção ou obrigação de se desfazer, nomeadamente os identificados na Lista Europeia de Resíduos. O Planeamento e Gestão de Resíduos, englobando todas as tipologias de resíduos e as diversas origens, constituem o objetivo das políticas neste domínio do ambiente, assumindo ainda papel de relevo de carácter transversal pela incidência na Preservação dos Recursos Naturais e em outras Estratégias Ambientais.

5. Construção Sustentável

5-construcao-sustentavelA definição de “Construção Sustentável” mais aceite internacionalmente foi a apresentada por Charles Kibert em 1994, que a define como a "criação e gestão responsável de um ambiente construído saudável, tendo em consideração os princípios ecológicos e a utilização eficiente dos recursos". Construir com critérios de sustentabilidade é construir com racionalidade, tendo em vista a minimização dos impactes ecológicos que prejudicam a biodiversidade. Este objetivo concretiza-se com o planeamento partilhado, com a utilização racional dos materiais, com o respeito pelos ciclos naturais do ar e da água, com o recurso a estratégias passivas de produção de energia e com a gestão e reciclagem de resíduos.

6. Alterações Climáticas

6-alteracoes-climaticasO termo “Alterações Climáticas” (AC) refere-se a um conjunto de alterações recentes do sistema climático, resultantes da intensificação do efeito de estufa causado pela emissão de gases com efeito de estufa (GEE) pelas atividades humanas, resultando num aumento da concentração atmosférica destes gases, em particular de dióxido de carbono (CO2). O efeito de estufa é um processo natural que ocorre quando uma parte da radiação infravermelha emitida pela superfície terrestre é absorvida por determinados gases presentes na atmosfera (os chamados Gases com Efeito de Estufa - GEE). Como consequência disso, parte do calor é irradiado para a superfície, não sendo libertado para o espaço, o que permite manter a temperatura do globo num valor médio de cerca de 15°C, possibilitando a vida na Terra.

7. Mobilidade Suave e Ecoturismo

7-mobilidade-suave-ecoturismoA “Mobilidade” refere-se a um fluxo de pessoas ou bens onde o aumento da capacidade da rede viária e da fluidez de circulação beneficia sempre, de forma direta ou indireta, a sociedade. Atualmente, o conceito de mobilidade encontra-se intimamente relacionado com a noção de sustentabilidade. Deste modo, justifica-se o facto do conceito de mobilidade sustentável estar cada vez mais presente nas políticas e estratégias territoriais da UE. Por um lado, pressupõe-se que a população disponha de condições e escolhas de mobilidade que lhes proporcione deslocações seguras, confortáveis, com tempos razoáveis e custos acessíveis, e por outro lado que a sua mobilidade se exerça de forma energeticamente eficiente e com reduzidos impactos para o ambiente. Assim, “Mobilidade Suave” pode ser definida como mobilidade não-motorizada (nomeadamente, pedonal e ciclável), mais eficiente do ponto de vista ambiental e energético.

O Ecoturismo apresenta-se como sendo um turismo alternativo em franca implementação desde os anos 90, ligado às preocupações ambientais e à crescente necessidade de contacto com a natureza e com diferentes culturas e sociedades. Também designado de turismo alternativo, turismo verde ou turismo de natureza, o Ecoturismo visa integrar a experiência turística com a proteção e conservação dos recursos naturais e construídos, a valorização económica e a participação da população local, constituindo um meio privilegiado para a sustentabilidade local.

© 2015 Região Sustentável | Agência para a Sustentabilidade e a Competitividade – Região de Aveiro
critec